6 de set de 2008

Formação de professores em Cuba e Brasil. Um estudo

Cuba é um país que desperta muitas paixões, fato pelo qual é muito raro encontrar opiniões que não sejam extremas, entre o amor e o ódio, de acordo com a prisma ideológico pelo qual a pessoa olhar.

Muitos professores que se interessam em melhorar a educação, já provavelmente terão pensado algum dia em quais são essas condições existentes no território cubano que produzem uma educação com níveis de qualidade invejáveis. É possível que muitos fiquem satisfeitos simplesmente com a ideia que a causa seja a revolução cubana, mas para chegar em alguma conclusão de valor é necessário fazer uma análise objetiva de quais seriam essas características ou ações diferenciais.

Um grão de areia no avanço da compreensão das causas ou condições para esse sucesso, foi o que fez a profa. Rose Meri Trojan, com o artigo "Teoria e prática na formação docente: estudo das políticas educacionais brasileiras e cubanas", publicado recentemente na revista Práxis Educativa, da UEPG (v. 3, n. 1, 2008).

Acredito que a análise comparativa realizada pela professora Rose Meri é de grande valor e interesse, embora saibamos que a formação de professores é muito importante mas não é o único dos fatores que favorecem ou dificultam uma educação de qualidade.

Parabéns professora!

24 de jun de 2008

Design Instrucional na Prática

Comprei recentemente o livro Design Instrucional na Prática, da Andrea Filatro (Pearson, 2008, ISBN:8576051885) e tenho que dizer que me causou uma impressão muito boa.
O recomendo para todos os que tenham que trabalhar com preparação de cursos para EaD.

DESIGN INSTRUCIONAL NA PRÁTICA
ISBN : 8576051885
1 º Edição - 2008 - 192 pág.

O notável crescimento da educação a distância nos últimos anos trouxe um desafio para todos os envolvidos nessa revolução - planejar, desenvolver e implementar cursos voltados especificamente para o aprendizado eletrônico. Esse desafio torna-se mais complexo por exigir o desenvolvimento e a aplicação de competências totalmente diferentes das requeridas pelo modelo presencial tradicional - competências estas regidas pela área de design instrucional. Design instrucional tem como objetivo ajudar o leitor a entender o que é design instrucional e seu papel na elaboração de um curso on-line. Para tanto, apresenta o processo do design instrucional passo a passo e mostra como ele trabalha para unir educação, tecnologia, comunicação e gestão em um único campo do conhecimento. Além disso, a fim de ser um verdadeiro guia, este livro destaca todos os aspectos do design instrucional em um curso on-line. Assim, tópicos como construção de roteiros e storyboards, design de conteúdos multimídia, design de interação e design de ambiente virtual ganham vida por meio de exemplos práticos e dicas valiosas.

1 de jun de 2008

O Lap Tup-niquim nas Carteiras informatizadas brasileiras

Além de ser uma tecnologia de ponta, dirigida especificamente para a educação, este projeto brasileiro de carteiras escolares com tablet digital, chamado Lap Tup-niquim, que já está em uma fase bastante avançada de desenvolvimento, têm outras características que me chamaram muito a atenção:

- A novidade do conceito (na parte tecnológica, na preocupação com a ergonomia).
- O cuidado com sua aplicação objetiva nas condições e os recursos existentes na região.
- A preocupação e sentido de colaboração entre as diversas partes envolvidas (a prefeitura de uma pequena cidade do interior de São Paulo, o Cenpra, Abinfo e Ciatec).

Confira na matéria "Carteiras Informatizadas" da revista Pesquisa FAPESP online, de maio de 2008.

Observações:
A imagem que acompanha este post foi tomada do próprio artigo mencionado.
Algumas primeiras referências desse projeto já apareceram no ano passado. Ver Jornal Nacional da Globo, com data de 12/11/2007.

19 de mai de 2008

Rumo ao milhão de alunos na EaD brasileira


No artigo publicado no jornal "O Estado de Minas", "Ensino a distância conquista 1 milhão", comenta-se sobre a quantidade de alunos e qualidade dos cursos oferecidos na modalidade de EaD.
O artigo está bem interessante, é de leitura fácil e pode ser trabalhado com os alunos que estudam a distância.
Além de comentar sobre a importância da própria notícia, por que não lançar os seguintes desafios para os alunos?

Partindo do trecho do artigo que diz "Criado no Brasil há apenas uma década, o ensino a distância caminha para ultrapassar, ainda este ano, a marca histórica de 1 milhão de alunos matriculados...", faça as seguintes atividades:

1. Pesquise sobre a história e desenvolvimento do ensino a distância no Brasil e diga se está certa a data indicada como de inicio dos estudos nessa modalidade no país.

2. Tente responder também sobre quais podem ser os motivos para a jornalista colocar essa data como inicio dos estudos de EaD no país. [muito provavelmente terá elementos para responder esta pergunta, só depois de fazer a pesquisa anterior]

3. Discuta com seus colegas sobre os argumentos dos alunos entrevistados pelo jornal, assim como sobre a existência ou não de outras possíveis diferenças quando comparados os estudos presenciais e a distância.

Alguma outra sugestão?

A imagem que acompanha este post foi tomada do próprio artigo mencionado.

4 de fev de 2008

Declaração da Cidade do Cabo para uma Educação Aberta

Graças ao boletim semanal de Octeto, soubemos que na semana passada foi feita pública a Declaração da Cidade do Cabo para uma Educação Aberta, promovida pela Open Society Institute e a Shuttleworth Foundation que, até a data, já tinha juntado mais de mil e duzentas adesões individuais e de diversas organizações.


A declaração convida professores e estudantes para participar ativamente nesse movimento com o intuito de usar e melhorar os recursos disponíveis assim como publicar os recursos próprios através de licenças abertas. Também convoca às instituições para dar prioridade à educação aberta em suas políticas. "todos os recursos educacionais financiados com os impostos dos contribuintes deveriam ser recursos educativos abertos. Os órgãos avaliadores deveriam dar preferência aos recursos educativos abertos. Os centros de recursos educacionais deveriam incluir e destacar ativamente os recursos abertos de Educação dentro de suas coleções." (a versão em português ainda não foi concluída).


A Declaração da Cidade do Cabo está gerando um eco considerável nos meios de comunicação e na blogosfera. Um dos promotores, David Wiley, criou uma página para reunir as referências encontradas.

23 de jan de 2008

2008 - Ano Internacional dos Recifes de Coral

Hoje sairei um pouco da educação em geral para tocar o tema da educação ambiental, pois temos uma grande data para comemorar e participar.

O 2008 foi declarado o Ano Internacional dos Recifes de Coral, pela International Coral Reef Initiative (ICRI). Esta é uma excelente oportunidade de juntar esforços para aumentar a consciência e entendimento sobre a importância dos recifes de coral e seu papel nos ecossistemas marinhos litorâneos e na vida em geral.

Se você se interessa pelo tema e quer fazer alguma ação em prol da conservação e exploração sustentável desses delicados ecossistemas presentes em uma grande parte do nosso litoral, a lista de discussão eletrônica Biota Aquática poderá servir de canal de informação e coordenação de ações entre as partes interessadas. Se você tiver alguma idéia ou proposta para esta comemoração também a poderá divulgar através dessa lista.

Para se subscrever na lista Biota Aquática, visite o site http://tech.groups.yahoo.com/group/biotaaquatica e clique no botão "Join this Group" ou envie uma mensagem sem assunto para biotaaquatica-subscribe@yahoogroups.com


Seguem alguns artigos e links úteis sobre esta comemoração e o tema dos recifes de coral:

- Artigo “2008 será o Ano Internacional dos Recifes de Coral” na FaunaBrasil http://www.faunabrasil.com.br/sistema/modules/news/article.php?storyid=1488
- artigo "Corais em risco de extinção" no Diário de Notícias, Portugal. http://www.faunabrasil.com.br/sistema/modules/news/article.php?storyid=1488

- Site do International Year of the Reef (IYOR 2008) http://www.iyor.org/

- Site da International Coral Reef Initiative (ICRI) http://www.icriforum.org/

- ONG Centro de Pesquisa e Conservação dos Ecossistemas Aquáticos (Biota Aquática) http://www.biotaaquatica.org/




7 de jan de 2008

De volta à sala de aula

Um breve texto em que são sugeridas algumas ações simples que podem ajudar numa prática pedagogica mais efetiva.
De volta à sala de aula
O historiador e diplomata Alberto da Costa e Silva deu, como sempre, uma ótima entrevista, esta para a repórter Mariana Filgueiras, no "Jornal do Brasil", em que fala de quatro atividades essenciais que praticávamos na sala de aula e que, pelo visto, a escola brasileira abandonou. Uma, a leitura em voz alta. Um aluno lia alto e os outros o acompanhavam no mesmo texto, em silêncio. Depois se revezavam. "Quem lê em voz alta toma gosto pela leitura", diz ele. "Ler alto ensina a virgular, ensina as respirações da fala." Outra, o ditado. "Ele educa o ouvido", observa Da Costa e Silva, além de exigir do aluno o conhecimento da palavra e da estrutura da frase, a destreza e a clareza caligráficas. Quantas crianças no Brasil de hoje serão capazes de tomar um ditado sem cometer grossas batatadas com seus garranchos? Uma terceira, a cópia. O simples ato de copiar um texto estimula a concentração para a grafia, os acentos e a pontuação. Não que os garotos não estejam entregando trabalhos baseados em textos que copiam liberalmente da internet -mas a cópia na sala de aula é outra coisa. Ali é que, diante do professor, a onça bebe água. E, por fim, a redação -ou composição, como se chamava, baseada na observação de objetos. "A composição estimula os sentidos. A criança aprende a pôr no papel, com palavras, o que vê", diz Alberto. "A descrição de quadros de natureza-morta, por exemplo, é essencial." Ou a visita ao zoológico, diria eu, ou à fábrica de sorvete. Alguém dirá que o próprio conceito de sala de aula mudou e que o importante agora é enchê-la de computadores. Mas a mecânica elementar do conhecimento em nossos meninos terá se sofisticado a esse ponto? Por enquanto, o que estamos produzindo são crianças que marcam xis no chute em testes de múltipla escolha.
autor: Ruy Castro
fonte: Folha de São Paulo.
data: 07-01-2008.

1 de jan de 2008

Manchetes para refletir sobre a educação que temos e queremos em 2008

As manchetes sobre educação no Brasil reunidas por Renato M.E. Sabbatini na lista EADBR são para refletir:

A tragédia da educação no Brasil

Algumas manchetes deste ano de 2007, que termina hoje:

* 74% da população brasileira não consegue ler e entender um simples texto
* 65 milhões de brasileiros não completaram 4 anos de estudo
* Brasil tem segundo maior índice de analfabetismo da América do Sul (14 milhões de pessoas com mais de 15 anos de idade)
* Menos de 50% dos alunos de 15 a 17 anos estão no ensino médio no Brasil
* 1.5 milhões de jovens entre 15 e 17 anos de idade estão fora da escola. Destes, 620 mil também não trabalham.
* Estudantes brasileiros ficam em penúltimo lugar em prova internacional de avaliação de conhecimento em ciências e matemática
* Apenas 20% dos alunos do nível fundamental aprendem o que é esperado em sua série.
* 40% dos alunos das escolas públicas chegam ao 4o. ano do fundamental sem saber ler e escrever.
* 70% dos alunos das escolas públicas do municipio de Sâo Paulo têm algum problema de saúde, 40% tem dificuldades de aprendizado
* 12% dos professores paulistas faltam regularmente ao trabalho
* Só 12,1% dos jovens entre 18 e 24 anos são universitários
* O número de estudantes que se formam nas universidades públicas brasileiras caiu quase 10% nos últimos dois anos
* Apenas 54% dos alunos terminam seus cursos nas universidades públicas brasileiras; em algums cursos as taxas de evasão são superiores a 70%.
* Brasil tem déficit de mais de 300.000 professores de física, química, biologia e matemática
* Apenas 2% da população têm interesse por ciências
* 50% dos brasileiros não sabem apontar onde fica o Brasil em um mapa.
* 42% das pessoas alfabetizadas leram ou lêem apenas um livro na vida
* 47% dos professores até 4ª série não têm diploma universitário
* 56% dos alunos de sexto ano das faculdades de medicina não
passaram no exame do Conselho Regional de Medicina de São Paulo
* 84% dos graduados em direito são reprovados no exame da OAB-SP
* Apenas 30 dos novos 500 cursos de direito criado nos últimos 5 anos foram aprovados pela OAB

Mas. mesmo com tudo isso, não vamos perder o otimismo. Faça alguma coisa para melhorar essa situação em 2008. Qualquer coisa. Todo brasileiro tem que se empenhar cada vez mais para tirar o nosso querido Brasil desse atoleiro que impede o nosso desenvolvimento e o fim da pobreza e da exclusão social.

Apoiem o Movimento Todos pela Educação. No site existem dicas preciosas para quem quiser colaborar. http://www.todospelaeducacao.org.br/

E acompanhe as estatísticas educacionais por este ótimo site, elaborado pelo Movimento: http://www.deolhonaeducacao.org.br/